Senador - Crivella diz que a classe política não deve se calar diante da violência contra a mulher

por CM SERRA publicado 24/11/2015 09h25, última modificação 24/11/2015 09h25

O senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) assinalou em Plenário que a classe política não deve se calar diante da violência contra a mulher nem aceitar retrocessos nos seus direitos. Ele citou artigo publicado nesta segunda-feira (23) em que a professora Lígia Bahia classifica as agressões contra mulheres como “epidemia” e “risco à democracia” e chama atenção para os custos econômicos e sociais da violência doméstica.

Crivella acrescentou que as mulheres brasileiras são discriminadas há cinco séculos e muitas continuam sofrendo o constrangimento moral de apoiar seus agressores. O senador disse que os políticos já enfrentam elevados índices de impopularidade e que as “ambições eleitorais” não justificam o silêncio diante da violência doméstica praticada por figuras públicas.

- Cada vez que, como a nossa professora Ligia Bahia, erguerem a voz em defesa delas próprias, estarão nos ajudando a construir a cidadania neste país - disse Crivella.

Agência Senado